CMC OCULAR - OFTALMOLOGIA

(11) 3889-7686(11) 94350-4606

Como alguém nasce com olhos multicoloridos?

Este é um dos questionamentos mais comuns quando um cidadão se depara com a heterocromia pela primeira vez. Olhos com cores distintas podem ter causa genética, doença ou lesão.

Terça, 26 de janeiro de 2021


Há três tipos diferentes de heterocromia do olho:

Completa - cada um dos olhos tem cores diferentes, por exemplo, um é verde e o outro azul. Considerada a mais fascinante;

Setorial - duas cores diferentes na mesma íris;

Central - quando a íris possui dois ou mais círculos de cor, por exemplo azul com um "aro" dourado próximo da pupila ou mesmo externamente. Alguns se referem a esse tipo como olhos de gato.

A heterocromia atinge 1 a cada 1.000 pessoas, sendo considerada relativamente rara, mas não está relacionada a uma mutação genética como alguns podem pensar.

As origens da heterocromia

De acordo com a oftalmologista Mariana Amaranto, a heterocromia pode estar relacionada a uma característica genética, ou seja, a criança já nasce assim, e deve ser avaliada depois de uns 10 meses do nascimento. "Toda criança nasce com o olho meio acinzentado e depois de uns 10 meses a um ano e meio é que a cor dos olhos é definida. A íris tem melanócitos, que são as estruturas que vão se impregnando de melanina. Então, quanto mais melanina, mais escuros são os olhos, às vezes, o maior acúmulo de melanina ocorre por uma carga genética, e a criança desenvolve cada olho de uma cor", explica.

A heterocromia pode estar relacionada a uma condição clínica também. Segundo Amaranto, há casos de uveíte (uma inflamação ocular) que levam a essa heterocromia porque podem causar a despigmentação em um dos olhos. "Isso pode estar relacionado a alguma doença, sempre deve ser avaliado pelo oftalmologista. Tem que ser investigado sempre que a heterocromia for observada, mesmo em crianças, para eliminar o risco de haver alguma doença associada. E quando é uma heterocromia adquirida, por exemplo, que surge na vida adulta, a associação que tem é geralmente com inflamação ocular, uveíte, ou por alguma outra doença", explica a médica.

"Até tumor pode alterar a cor do olho. Então, quando genético, vindo da infância, a gente vai observar, e se não houver nenhuma doença associada, é inofensivo. E na vida adulta, quando a gente observa heterocromia, geralmente está relacionada a alguma causa patológica", esclarece. Os casos de heterocromia ligada a um processo inflamatório podem gerar uma catarata antes da hora. Não só pela própria doença em si, mas também pelo tratamento, porque a uveíte exige corticoide que pode acelerar o aparecimento da catarata.

Fonte: VivaBem UOL


voltar