CMC OCULAR - OFTALMOLOGIA

(11) 3554-6012(11) 94350-4606

Ler no escuro não prejudica a visão! Já usar o celular...

Você já ouviu a expressão "Não leia no escuro, pois pode prejudicar sua visão"?

Terça, 05 de janeiro de 2021


Com os estudos oftalmológicos mais recentes esse mito foi ficando para trás e o que se sabe é que, em ambientes pouco iluminados, força-se mais os olhos e com isso pode ocorrer cansaço e fadiga visual intensa, mas não existe comprovação científica de que esses hábitos estejam relacionados com patologias.

O surgimento da presbiopia, por exemplo, que é uma condição ocular associada ao envelhecimento do olho humano caracterizada por diminuição progressiva da capacidade de focar nitidamente objetos a curta distância e não tem relação com ler no escuro.

A visão em ambientes escuros

O olho humano possui um mecanismo que regula a entrada de luz. Quando a claridade diminui, naturalmente as pupilas, que funcionam como o diafragma de uma câmera, se dilatam para captar o máximo de luminosidade disponível no ambiente. A questão é que quando isso ocorre enquanto se lê, os olhos fazem um esforço extra, pois além de se ajustarem à falta de luz, precisam converter o que está próximo deles em uma imagem nítida.

Como resultado do esforço para ler, os olhos ficam com sensação de fadiga, como se tivessem passado horas e horas em atividade de leitura. Fora isso, se a pessoa já estiver cansada, apresentar alguma doença ocular (miopia, hipermetropia, astigmatismo) e não usar óculos com grau adequado ou se o hábito de ler for prolongado, esse sintoma pode vir acompanhado de dores de cabeça, vista embaçada, secura, vermelhidão e coceira ocular.

Esses efeitos geralmente são passageiros e, como já explicado, ler na penumbra não provoca — nem mesmo no longo prazo — danos mais sérios para a saúde dos olhos. Mas isso não quer dizer que você deva permanecer lendo por períodos prolongados em ambientes com baixa iluminação.

Já a leitura em telas de celulares ou tablets é bastante arriscada. Em 2018, um estudo da Universidade de Toledo, nos Estados Unidos, publicado na revista científica Nature, demonstrou também que a alta energia da luz azul, com o passar dos anos, antecipa a síntese de uma substância tóxica que desgasta as membranas dos fotorreceptores das retinas e, de forma gradual, os mata, podendo, em alguns casos, levar ainda à cegueira.

Caso perceba alguma alteração em sua visão, por mais simples que pareça, marque uma consulta conosco para saber se você está enxergando bem e se precisa usar óculos ou fazer alguma correção de grau.

Sempre busque ter fontes de luz adequadas, como uma luminária que incida por trás ou lateralmente ao local onde você está lendo, mas tome cuidado com a escolha do tipo de lâmpada, pois as de LED branca também emitem luz azul. Além disso faça pausas de aproximadamente 20 segundos, a cada 20 / 30 minutos e procure focar em algo que esteja à distância, para proporcionar um alongamento para o músculo que atua na visão.

Procure manter hábitos sempre saudáveis, como não usar celulares ou tablets no escuro e nem antes de dormir por pelo menos duas horas. Caso seja indispensável procure ajustar os aparelhos para o modo noturno, emitindo assim menos luz azul ou pelo menos configure a intensidade de brilho da tela.

Em caso de dúvidas não hesite em marcar sua consulta!


voltar